Mães que odeiam ser mães

“Uma amiga disse-me para escrever no google ‘odeio ser mãe’ e ver o que de lá saía. Alertou-me para o fato de haver blogs de Mães que odeiam ser mães. Calculei que as houvesse, mas nunca me passou pela cabeça que poderiam ser tantas. (…) Talvez por isso seja cada vez mais imperativo desconstruir a maternidade romântica em que a sociedade nos quer fazer acreditar. Deixarmo-nos de falinhas mansas quando o assunto é sério. Mostrar a realidade. Nem sempre é bom ser Mãe.”

Leia o restante do texto aqui.

PS: achei muito legal porque a Joana Paixão é mãe, gosta de sua função e nem por isso julgou. Ela pensou direitinho e fez um texto bacana e realista, sem xingamentos gratuitos de gente que jamais vai entender o que passamos.

Anúncios

9 comentários sobre “Mães que odeiam ser mães

  1. Eu sou mãe! Entendo perfeitamente o que as outras mães sentem quando tem desafios com a depressão pós-parto, quando o cabelo começa a cair, inclusive os primeiros meses em que o bebé chora bastante. Mas acredito que são nesses momento que a mãe tem de tocar os desafios pelas SOLUÇÕES.
    Eu fiquei bastante sensível aos comentários das pessoas, evitei pessoas que possivelmente o podessem fazer, e convivi apenas com as que me proporcionavam bons momentos.
    Quando o cabelo começou a cair …. aproveitei para cortar as pontas para que assim crescesse com mais força.
    Quando o bebé chorou imenso nos primeiros 2 meses, fiz de tudo para satisfazer o meu bebe, até deu banho com o meu peito na boca dele (não me perguntem “como?” sim, é possivel). O meu cerebro quase que explodiu com tanto choro, mas temos de arranjar soluções!
    Acredito que seja complicado para as mães solteiras, mas eu tive o apoio de 24h do meu marido. Em Portugal o pai recebe licença também! E ajudou imenso. Ele trata tão bem do meu bebe como eu.
    Para as mães que detestam ser mães. Lembrem-se que vocês não detestam. Voces estão a enfrentar desafios que tem soluções! Voces amam ser mães! Tem esse lindo bebé, o qual voces sao responsaveis por ele. Esse bebe vos ama. Assim como eu amei a minha mãe quando eu bebe. Desfrutem a maternidade! Ela é bonita, só leva tempo a adaptação. E se precisarem de alguém para desabafar, falem comigo. 🙂
    Beijinho enorme.

    Curtir

  2. roseli disse:

    Gostei muito de descobrir esse espaço ,sempre me senti assim meuais velho já t 18 e foi até mais fácil, já a caçula foi acidente não queria mesmo! É perder a liberdade foi e é super difícil é nem digo liberdade de baladas não! É o poder sair sem rumo,ler em paz trabalhar porque fui a falência durante a gravidez ,fechei meu comércio e hoje não trabalho fora,pois até as creches te chamam! Quando a criança fica doente ,ela já tem quatro anos,fiquei casada com o pai dela,mais as brigas todas porque apesar dele ser louko por ela ,não enfrenta o dia a dia como eu, hoje sou separada dele é contínuo a exigir que ele cuide também! Eu amo meus filhos e talvez se não fosse assim seria mais fácil simplesmente ter largado eles para trás, as mães que conheço que dizem gostar de ser mãe, que é facinho são sempre aquelas que deixam com qualquer um! Já eu não tenho ninguém para deixar e nesse mundo cretino qual lugar seguro para as crianças?

    Curtir

  3. poly disse:

    Que bom poder falar disse sem ser julgada … Mas se pudesse voltaria no tempo, ser mae eh viver cansada, nao ter a quem pedir socorro, meu filho vive tem 4 anos, vive me batendo me mordendo, joga brinquedos em mim, ele nao me ouve quando falo baixo ou com calma, se grito com ele eh pior, se eu dou umas palmadas ele vem pra cima, me sinto frustrada, nao consigo estudar em paz nem trabalhar, desde que fiquei gravida minha vida virou um caus, nao tenho vontade de sair, mesmo pq, onde vou tenho de levar uma criança q nao obedece, fico cansada so de pensar, por varias vezes choro no banheiro, me perguntando o q fiz da minha vida… Meu marido sente a mesma coisa, nao falo disso pra ninguém, mas tenho vontade de morrer pra sair desse sofrimento … Por favor nao me julguem, preciso de ajuda e nao julgamento

    Curtir

    • Ju0803 disse:

      Quando li seu comentário tive a sensação de estar me vendo.
      Passo por isso desde que meu filho nasceu. Ele hj tem 3 anos e as coisas só pioram.
      Sempre o desejei, planejei até com meu marido, porém sofri um trauma muito grande no parto sofri demais por dois dias resultando em uma cesariana de emergência , tive complicações no pós parto devido à uma cefaléia pós raqui. Meus seios sangravam, e ele não chorava, gritava!
      eu chorava todos os dias me sentindo culpada, por não sentir felicidade em ser a mãe do meu filho. Devido ao fato de todos ao nosso redor romantizarem a maternidade dizendo que é a coisa mais linda e maravilhosa sem mencionar as dificuldades diárias e sem dar palpites construtivos só palpites que denigrem que nos fazem sentir ainda mais culpadas.
      Eu descobri que somos sozinhas. Mães que deixaram de trabalhar (como eu) por não ter condições de deixar com ninguém e nem de pagar uma creche( e voces sabem comp é pra conseguir uma pública. ), mães que precisam se anular para cuidar do bebê nem sempre estão preparadas para isso. E infelizmente não tem como a gente ter noção disso sem passar por isso.
      Hoje meu filho tem 3 anos e esta fazendo adaptação em uma creche e está ficando cada vez pior o comportamento dele agora me bate com força, me chuta puxa meu cabelo. Não posso contrariar ele em nada, ele grita se joga no chão. Já tentei varias “tecnicas” e nada resolve esse temperamento dele. Enfim, não sei lidar com meu pequeno tiraninho. Acho que a gente sofre mais é com isso. Quando não sabemos lidar, não sabemos o que fazer.
      Que Deus e a espiritualidade nos ajude q passar por essa fase . Pq sim, é muito complicado. Sem romance. O fato de amarmos e querermos o bem do nosso filho não está vinculado ao fato de gostarmos da rotina. Tem coisas boas sim, tem hora que a gente acha graça, tem hora q a gente olha pra ele e acha bonitinho o q ele falou. Mas a maior parte é gritando, falando pra parar de fazer isso e aquilo, correndo atrás, dando tapinha corretivo no bumbum, limpando farelo de biscoitos espalhados pela casa, fazendo comida, dando banho e é sempre aquela guerra! Quem não gosta de se sentir preso não deve ter filhos. A verdade é essa. Pq ninguém nos ajuda. Ninguém. Pelo menos eu não tive sorte. Vejo amigas minhas super felizes com a maternidade dizem que conseguem fazer tudo pq o bebê é calminho e as vezes me bate até uma inveja disso. Pq queria voltar a ser eu mesma. Queria voltar a fazer tudo o q gosto. Mas tudo depende da rotina dele. É um sentimento de ser sudita dele. Entendo perfeitamente o q vc passa e acho q só tendo mt força mesmo pra passar por isso pq realmente desgasta mt. Deus nos de forças! Bjs

      Curtir

  4. Lu disse:

    Eu não sou mãe e não quero ser, acho que nunca quis mas quando era mais nova eu imaginava que ia mudar de ideia até porque todo mundo me falava isso e usavam como exemplo minha tia que também não queria ser mãe e teve uma filha, hoje essas pessoas tem filhos mal educados, grossos, que não tem um pingo de respeito pelo próximo enquanto suas mães estão infelizes e os pais curtindo a vida, eu que não quero isso pra mim e já estou decidida que quero uma laqueadura o mais cedo que eu conseguir, e tento o máximo não ceder a pressão da família nem de namorado que vem com conversinha de que quer construir família já vi bem que esses são os primeiros a largar a responsabilidade pra mãe e ir curtir a vida.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s